O Equilíbrio da Mente e do Corpo

Tempo de leitura: 4 minutos

Todo mundo sabe que pra ter uma alimentação saudável é importante ter no prato muita variedade. Quanto mais colorida a sua comida, mais prazeroso vai ser comer. Que tal incluir nas suas refeições, alimentos que são superpoderosos quando se fala em perder os quilinhos extras?
É importante dizer que, só esses alimentos não fazem milagre, são um conjunto de coisas e alimentos que vão te fazer chegar onde você quer, por isso, não exclua alimentos do seu cardápio.
Arroz integral: O arroz comum está sempre no nosso dia a dia, mas que tal substituí-lo pelo integral? No arroz integral, as fibras, minerais e as vitaminas são preservadas, já que aquela película que reveste o arroz é mantida. As calorias dos dois tipos são praticamente as mesmas.

O equilíbrio da mente e do corpo:

De todos os alimentos usados na face da terra, o único produto equilibrado em sódio e potássio, é o arroz integral, dois elementos de primordial valor no metabolismo humano. Existem proporções definidas para estes elementos no sangue, urina, liquor cefaloraquidiano, etc., e, a não ser o arroz integral, todos os outros alimentos, em sua totalidade, são desequilibrados. O arroz integral, nesse sistema filosófico, apresenta-se como o alimento básico e incontestável para se conseguir o equilíbrio.

Todavia, mais importante que o arroz integral é a mastigação, pois se não for triturado convenientemente, ou se for deglutido sem ser mastigado, o seu valor nutritivo torna-se nulo, pois será eliminado da mesma maneira que foi ingerido, sem saliva não há um bom aproveitamento.
Não importa que se coma, importante é reduzir o produto da mastigação até chegar ao estado líquido ou semi-líquido.

Buda dizia:
“Comer os líquidos e beber os sólidos”.
A perfeição da mastigação é que, quando se deglute, não se sente o alimento passar pela garganta . Essa é a forma correta do mastigar, eis porque é preciso mastigar 50, 60, 70, 100 ou 120 vezes cada bocado de alimento que vai à boca, de acordo com a gravidade da doença em pauta.
Qualidades do Arroz Pela profunda ligação da raiz com a água, através da ingestão de arroz, os fluidos do corpo são postos em movimento e o excesso de líquidos é eliminado.
Aconselha-se a famosa dieta do arroz às pessoas que sofrem de pressão alta, para o edema dos cardíacos, dos nefróticos ou das gestantes, etc.
O grão de arroz por si tem pouco sódio (o cloreto de sódio – sal de cozinha – estimula a retenção de água nos tecidos) e, por isso, é usado nas dietas de emagrecimento e é muito importante na alimentação macrobiótica.
A digestibilidade do arroz é grande pelo fato da proteína permear todo o grão. A proteína é livre de gliadina e portanto, não produz reações alérgicas.
Durante o cozimento, o arroz forma mucilagem (como a aveia e a cevada), sendo muito útil para combater irritações intestinais. Tem uma ação obstipante, principalmente em nenês.

Cura a curto prazo.

O arroz tem uma ação mais anabolizante, atuando mais intensamente sobre o sistema metabólico. Nessa fase tem início a eliminação dos produtos tóxicos e químicos contidos na corrente sangüínea, e, concomitantemente, a perda de peso, que pode variar de acordo com o volume de líquidos retidos no organismo. Ainda nessa fase haverá a mudança parcial ou total dos glóbulos sangüíneos e então algumas doenças ou distúrbios desaparecerão, como a enxaqueca, a epilepsia, doenças gastrointestinais, etc; é a fase indicada como a “cura a curto prazo”.
Deve-se comer apenas arroz integral. É a linha de conduta inicial, para os indivíduos que apresentem distúrbios orgânicos de origem metabólica (emagrecimento e desequilíbrio orgânico). Os resultados, conforme o caso, serão surpreendentes – principalmente para emagrecer.
Para as pessoas com dificuldades de perder peso, iniciar pelo menos sete dias na semana, comendo os percecntuais só de arroz, e nos outros dias, como indicados. Como manutenção você poderá fazer três dias na semana como na terceira etapa, depois dois dias como na segunda etapa e assim por diante.

Importante: O cozimento do arroz não deve ser feito com temperatura alta, por isso é indicado que se faça na cafeteira. Deixar o arroz previamente de molho no escuro durante 4 horas no mínimo. Colocar o arroz no rafratário, e a água no reservatório da cafeteira. Deixar cozinhar até que o arroz amoleça.

inscreva seu email pagina

1 Comentário

  1. Jéssica Almeida

    Interessantíssima esta matéria, vou substituir o arroz normal pelo integral em minhas refeições, Obrigado pela dica.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *